Buscar
  • Lady Brigitte

Minha mãe e minha história com botas



Minha mãe conta que desde pequena eu era aficionada em botas. Tudo começou quando ela comprou uma botinha de vinil pra eu usar em uma festa de Halloween com a minha fantasia de bruxinha, mas aí eu me apaixonei tanto por ela que não tirava mais, minha mãe teve até que levar no sapateiro pra trocar o salto eu usei até acabar de novo.

Na adolescência meu gosto era ainda mais forte, com 13 anos eu já usava salto 15 e botas de vinil de cano alto. De aniversário pedi e ganhei um corset que imitava couro de cobra, aí coloquei uma saia de couro com fivelas, meias 7/8 e uma cinta-liga. Eu me sentia linda assim quando me olhava no espelho e queria sair pra me exibir e dar uma volta na Galeria do Rock.

Meu pai, que tinha vindo morar conosco há pouco tempo, surtou! A ponto de uma vez ter jogado todas as minhas roupas pretas (que não eram muito diferentes das que tenho hoje) fora.

Ninguém nunca me incentivou a ser assim, minha mãe é a mulher mais básica que conheço, meu pai é evangélico e das minhas irmãs uma sempre foi hippie e a outra gostava do estilo Barbie.

Hoje ainda me sinto como aquela menina colocando minhas botas em casa só pra me olhar no espelho e me sentir bonita, mas agora no corpo de uma mulher. Talvez fosse mais fácil para os pais quando podiam escolher pela gente Mas a gente cresce e não é um prolongamento deles, a gente não é o que eles projetaram, não realiza seus planos e nem leva a vida que sonharam para nós.

O mundo lá fora sempre vai querer ditar quem devemos ser, mas ele não me assusta tanto quanto o julgamento da porta pra dentro.

Sempre vou ser aquela menina pra eles, mas a minha personalidade também sempre foi forte e hoje é mais forte que o desejo deles. Agora posso escolher não só minhas roupas, mas meu estilo de vida.

A dor e a delícia de ser o que se é se resume a escolhas pra mim. Não posso escolher entre ser quem eu sou ou o amor das pessoas que mais amo. Só posso escolher amar, amar quem sou e amar eles independente de como irão julgar.

53 visualizações